sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Você casou pra lavar louça? Não? Seu marido também não.

O que mais ouço hoje em dia é: " Não casei pra lavar louça." "Não casei pra passar roupa." "Não casei pra lavar banheiro.". Já parou pra pensar que seu marido também não?
Ninguém casa pra limpar casa, até porque não precisa se casar pra isso. As solteiras, viúvas, separadas também limpam suas casas. Claro, se você tem empregada, nem você e nem seu marido vão precisar fazer. 

O que estou querendo dizer com isso, é que estou vendo alguns casamentos esfriando por causa destas questões: "Não me casei para..."

O serviço doméstico é horroroso pra todo mundo, até para a empregada, ela faz porque recebe pra isso.

Não tenho nenhuma empregada, faço as coisas dentro de casa porque tenho que fazer, se eu não lavar, vai ficar sujo, se eu não passar, vai ficar amarrotado. 

Hoje em dia, os maridos tem divido cada vez mais as tarefas domésticas com suas mulheres. Até porque, boa parte das mulheres tem jornada tripla. Ajudam com os filhos, dando banho, janta, ensinando nas tarefas escolares. Ajudam com a casa, fazendo comida, lavando louça, alguns até arrumam sua própria bagunça (quando as mulheres pedem, né). 

Conheci uma pessoa que me contou que o marido chegava do trabalho, fazia a janta, lavava a louça. Mas às cinco horas da manhã ele tinha que passar o uniforme dele, porque estava dentro do armário por passar. Porque ela não suporta passar roupa. (quem suporta?)

Passar a roupa deste marido que a ajuda é subserviência, ou seria um ato de cuidado, carinho?

Meu marido me ajuda muito na cozinha, lava louças e às vezes faz o almoço. Seria justo, na hora que eu for passar a minha roupa e a do meu filho deixar a roupa dele pra ele passar? Sendo que na hora que ele lava a louça ele lava meu prato, copo e talher?

Companheirismo acho que é a base de um casamento. 

Ele é percebido nas coisas mas significativas e nas pequenas também.
Se eu passar o dia no note, fazendo coisas que não são referentes a casa, ele também não faz, não é por birra, porque nem brigamos, homem é que nem criança, aprende pelo exemplo. Quando meu marido me vê fazendo alguma atividade doméstica, ele se prontifica a ajudar. 

Fica com filho para eu sair cazzzamigash. Se tiver que fazer compras no mercado sozinho, ele vai. Então, acho justo eu lavar seus talheres e passar as suas roupas.

Isso não é submissão, é cuidado. Isso não é escravidão, é carinho. 




13 comentários:

  1. Perfeito. Onde eu assino?
    Aqui eu também tenho um parceirão. Me ajuda nas tarefas domésticas, e sempre cuidou do JM: dá banho, troca fralda, faz e dá comida, brinca, sai com ele... Temos uma relação de parceria, amizade, companheirismo.
    Gentileza é tudo.
    Beijão.

    ResponderExcluir
  2. Cláudia, o padre falou- Na saúde(casa limpa e comida bem feita) e na doença(ambos se ajudam nas tarefas) Na riqueza (pagando diarista ou empregada) na pobreza( cada um dá o melhor de si na manutenção elétrica, hidráulica, jardinagem, organização e limpeza da casa)Prometendo um ao outro o cuidado, a proteção a parceria na harmonia do lar. Afinal casa todo mundo tem. Há esqueci! Todas essas promessas se cumpriram se houver respeito, inclusive do filhos, e principalmente o AMOR. bJIM!

    ResponderExcluir
  3. Que lindo seu post,concordo e penso igual á você...
    Ótimo fim de semana.
    Bjinhus ;)

    ResponderExcluir
  4. Claúdia,
    Texto perfeito!!!
    Penso assim e agimos assim aqui em casa. Quando casei eu já trabalhava, fiquei durante 14 anos, dividida entre filho, marido, casa e trabalho.
    Mas sempre cuidando e preservando a harmonia no lar e com carinho nos afazeres domésticos.
    Tenho sorte e agradeço a DEus por meu marido ser um excelente companheiro, pois já morou sozinho e sabe fazer de tudo.
    Hoje trabalho em casa e como ele voltou a estudar, acorda as 4 e meia e chega quase meia noite. Peguei uma parcela maior na divisão, pois não seria justo com ele...
    Como tudo na vida, devemos usar o bom senso e respeito..e sua última frase se encaixa perfeitamente na minha vida.
    bjs
    Paty

    ResponderExcluir
  5. oiiiiiii......gostei desse post ...perfeito!!!!!! meu marido tbm me ajuda mto , tanto com afazeres domésticos , qto á cozinhar , que é a melhor parte, ele cozinha super bem!1 e tbm com meu filho de quatro anos , ele da banho toma conta e tudo mais!!!!adorei!!!! bjs

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Cláudia!

    Ficamos no cafofo quase 02 meses sem doméstica, atualmente consegui uma diarista só p/ limpeza pesada 02 vezes na semana. Aqui não só compartilho serviço com o marido, sobra p/ o filho também rsrsrsrsr e todos ajudam na boa, principalmente quando participo de feira a rotina vai p/ o beleléu e o meu trabalho dobra.
    Lendo seu post fiquei a pensar "Casou para quê?", conjugar é dividir é a tônica de uma boa relação.

    Bella, tenha um excelente sábado!

    Bjãooooo

    ResponderExcluir
  7. Oi Cláudia, adorei seu blog e este post. Super concordo com vc! Eu acho que a gente se casa sim,pra tudo isso e pra muito mais também...
    Sou nova por aqui e já virei seguidora!

    Bjks e bom fim d semana!
    Me faça uma visitinha também!

    http://cordecoracao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Disse tudo!!! Concordo em número e grau, trabalho fora e também não tenho empregada, mas como você disse, casamento tem que ter companheirismo, meu marido não gosta de fazer serviço de casa, mas faz outras coisas do tipo: rega minhas plantas, cuida do nosso filho, vai levar e buscar na avó, enfim, aproveito o que ele gosta de fazer para dividirmos as tarefas e tem dado muito certo!! bjossss

    ResponderExcluir
  9. Adorei o port Claudia!
    Realmente o trabalho doméstico cansa mesmo, mas meu marido é tranquilo quanto a isso. Eu acho que tudo em relação a casa e ao casamento em si vem através do companheirismo. Conheço mulheres que super se arrumam e o marido é um trapo em pessoa, isso eu acho falta de zelo com quem se ama, não é mesmo? Quem ama cuida! Beijos

    ResponderExcluir
  10. Eu adorei o post...infelizmente os casais pensam apenas nos prós de um casamento e esquecem que existem os "contras" também... dois se casam para tornarem-se um só, e é claro que isso vai exigir abdicação de muitas coisas. Lamentavelmente o casamento tornou-se um contrato onde as partes o dissolvem quando não obtém todas as vantagens desejadas...
    Que Deus abençoe e fortaleça os casais que REALMENTE DESEJAM LEVAR ESSA INSTITUIÇÃO DIVINA A SÉRIO: O CASAMENTO!!

    ResponderExcluir
  11. Quando existe a contrapartida do marido realmente tem que haver a nossa. Ruim é quando somente uma das partes faz. Quando os dois trabalham em equipe, tudo funciona melhor.

    ResponderExcluir

Oi, obrigada por sua visita!