segunda-feira, 25 de junho de 2012

Altruísmo com moderação.

Sempre ouvi dizer que altruísmo é quando você abre mão de você mesma para cuidar do próximo.  E ajudar o próximo é bom e necessário.

A minha vida inteira me vi fazendo isso. Não conseguia fazer diferente.

Até nas menores coisas. No trabalho por exemplo, quando estava fazendo algo, e alguém me pedia alguma coisa, parava o que estava fazendo, e com a maior satisfação do mundo, ia ajudá-la, mesmo que isso atrasasse o meu serviço. Na escola, em casa, na vida. Eu fazia porque queria e me sentia muito bem, obrigada. Foram tantas renúncias e sacrifícios que fiz sem perceber. Porque pra mim, o que interessava era o bem do próximo, sempre e em primeiro lugar.

Os anos se passaram e percebi que me deixei de lado. Renunciei tanta coisa, de tanto tempo comigo, que como sinto falta disso hoje. 

Estou tentando me impor, AMO ajudar a todos, mas quero ajudá-los no meu tempo. Pra mim está sendo estranho dizer: Quando eu terminar eu vou. Ou : Não vai dar. (essa frase é mas estranha ainda). 


Mas está sendo bom, muito bom. Estou me sentindo valorizada por mim mesma.




10 comentários:

  1. Cláudia, minha amiga, eu também aprendi isso por agora, e tem sido muito bom. É difícil, mas é libertador. Um texto que me abriu os olhos foi este:

    Quanto lhe for POSSÍVEL, não deixe de fazer o bem a quem dele PRECISA,
    Provérbios 3:27 ( o caps lock é meu)


    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Amei teu post Cláudia!
    Ás vezes queremos abraçar o mundo, fazer tudo, ajudar a todos, mas esquecemos da principal pessoa nesse meio: nós mesmas!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Querida amiga, ando meio sem tempo de visitar os blogs que sempre leio, mas vi o link no face da Fernanda Reali e vim aqui,mesmo sem tempo algum, mas o que escreveste preciso comentar.
    Passei muito tempo de minha vida exatamente assim, sempre parava o que estava fazendo ou deixava de fazer algo para mim e ia atender o outro, o pedido do outro, a solicitação do outro.
    E fui pouco a pouco esquecendo de mim, de como sou, das coisas que gosto e não gosto, de fazer o que me dava prazer, de olhar pra mim e viver minha vida e ser eu.
    Tenho trilhado um caminho longo e nada fácil para mudar isso, mas a cada dia que passa tenho aprendido que o NÃO é necessário, é possível, e limpa a gente. Que dizer somente sim apenas nos faz estar sempre a disposição do outro e nunca de nós mesmos.
    É um longo caminho, às vezes digo Não e me surpreendo por ele ter saído com tanta facilidade, tão automático, tão limpo e claro.
    Às vezes me custa um pouco, preciso parar, respirar e pensar.
    Sempre me pergunto nessa hora, esse tempo ao outro me fará falta? Tirará de mim algo muito importante? Se minha resposta for sim, o não vem novamente.
    Se acho que posso fazer e não me prejudicará, faço, não me custa, não me dói, e penso sempre também, esse sim que eu direi fará bem para a pessoa ou simplesmente ela não quer fazer algo que pode fazer, por se achar incapaz, por falta de jeito ou por má vontade mesmo. Se for uma dessas questões o não é igual, mesmo que não me custasse faze-lo, pois aprendi que dizer sim sempre, além de fazer com que esqueçamos de nós mesmo também prejudica o outro naquilo que ele precisa aprender.
    Siga em frente,sem culpa, sem angústia, não podemos dar a ninguém algo que nos fará falta, e não podemos fazer por ninguém o que essa pessoa precisa fazer por ela para aprender a viver.
    Te parabenizo por isso, mas não penses no tempo que perdeu, isso pode te confundir, foque no tempo que tens a ganhar com isso,será mais fácil, mais tranquilo e só e fará bem
    Beijos e desculpe a longa carta.
    Iara

    ResponderExcluir
  4. Oi Claudia

    Vim te convidar para participar do meu mosaico "viagem de volta ao passado" é muito legal.
    http://cafeecetim.blogspot.com.br/2012/06/bom-dia-flores-do-meu-jardim-desculpem.html

    beijos

    ResponderExcluir
  5. Tbem sou assim como vc...sempre tentando ajudar os outros, depois pra mim...nunca esperando nada em troca, apenas gratidão, e a gratidão qse nunca vem. Resumindo to tentando me impor, tentando aprender a usar palavras desconhecidas, à custas de terapia, mas é válido,fazer por mim e pra mim primeiro, acho q esse é o caminho.

    ResponderExcluir
  6. Muito motivador seu post, não podemos abraçar o mundo e esquecer de nós mesmas.
    adorei.

    Beijos
    Ana

    ResponderExcluir
  7. CLaudinha minha lindinha sorridente,


    Eu sou uma pessoa que carrega o mundo nas costas, e adoeci por isso. Ajudo a todos e incrivelmente até quem me magoa depois ou não merece minha ajuda, mas eu sou assim.

    Agora depois das minhas sessões de terapia eu MUDEI, digo NÂO POSSO com facilidade, e não sinto mais aquela sensação ruim que sentia, estou me cuidando e sendo mais egoísta comigo mesma e otimizando o meu tempo a meu favor.


    Encerrei tb minhas preocupações familiares, vou estar sempre por perto mesmo que distante mas não posso resolver seus problemas, vou ficar sempre doente haahahahah, agora é esse meu lema e pelo que percebi o povo tem me respeitado mais e meu telefone ficado mais desligado, e minha gasolina mais intacta, porque vou te falar nunca ninguém quer rachar nada com vc, só usufruir como se a gente fosse obrigada a ser legalzona com todos, quando mais precisei fiquei sozinha....


    bjooooo amadinha


    Ju Ramalho www.inquietacoes.com.br

    ResponderExcluir
  8. Belo post Claudia! Gostei de sua posição e atitude de auto-estima. Não considero isso egoísmo, pois vc mesma sabe a importância em ajudar, mas precisamos de vez em quando saber dizer o não. Tenho aprendido isso a cada dia. Na hora parece difícil mas em muitos momentos é o melhor a fazer. Beijão
    cantinho da galega.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Lindo seu blog!!!
    Amei a cor, o designer, a imagem no cabeçalho um charme, tudo até a mensagem no rodapé, sabe que também penso assim "ENTREGO, CONFIO E ESPERO, DEUS FARÁ O MELHOR". aMEI TUDINHO E estou acompanhando aos poucos suas postagens, e esta em particular também tem a ver comigo, pois sempre fui dedicada e prestativa aos outros, agora também estou dizendo não as vezes, no começo até doía por dentro depois que me negava, mas preciso ter este direito. Se não dizemos não as pessoas vivem da nossa sombra.

    ♥ Mary ♥

    ResponderExcluir

Oi, obrigada por sua visita!