terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Sobre o Papai Noel - Exorcizando demônios

Durante toda a minha infância eu acreditei em Papai Noel, mas nunca o entendi.


Durante a época em que acreditei em Papai Noel, eu era educada, obediente e tirava boas notas, mas me sentia rejeitada e não querida pelo bom velhinho. Porque? Porque nunca ganhava o tão almejado brinquedo. Ganhava presentes sim, mas nenhum deles eu havia pedido. Meu vizinho que não era tãããão bom aluno, ganhava presentes ótimos, àqueles que apareciam na tv. Uma menina da minha sala de aula (a vida inteira estudei em escola pública), ganhava bonecas maravilhosas, àquela da tv. As crianças ricas e algumas pobres ganhavam o que pediam e eu não. Porque você não me dava Papai Noel? O que eu tinha que fazer mais do que já fazia? Rejeição. Esse era o meu sentimento. Mas tinha medo de falar porque eu podia estar jogando fora a última chance de ganhar um dos brinquedos desejados. Engraçado como lembro disso. Tinha  medo de falar mal dele.


Quando eu descobri que ele não existia, ainda na infância, eu fiquei feliz. Todo o sentimento de rejeição e de não ser querida se dissiparam junto com a fantasia de sua existência.


Depois eu entendi que àquelas crianças que citei, eram filhos únicos. Ufa !!! Ninguém era melhor que eu.


Deixei meu filho acreditar em Papai Noel sim, porque sempre tivemos condições financeiras de dar o presente que ele pedia. Se não tivéssemos condições, ah, eu não deixaria ele passar pelo que passei.


Tenho dó das famílias pobres, que sem pensar, alimentam essa fantasia.


O meu filho tem um livro da Ruth Rocha, "Quando comecei a crescer ", quando li este pequeno livro, meus olhos se encheram de lágrimas. A personagem principal do livro é de uma família que tem uma condição financeira boa, quando ela descobre que Papai Noel não existe, ela têm esta consciência do porquê as crianças mais pobres não ganhavam presentes lindos. Pra mim deveria ser leitura obrigatória na escola para todas as crianças , principalmente às que são pobres. 


É isso aí.


Um beijo enoooooorme no de todos.



10 comentários:

  1. Oi Claudia sei bem como é isso..sonhei muito com minha bicicleta e nunca vinha, eu ficava triste e depois entendia...meus filhos acreditam em papai neol sim..pq sempre compro aquilo que eles pedem com vcs faz..eles escrevem cartinhas e tudo..beijoss..gosto muito dos seus posts..são lindos e sinceros

    ResponderExcluir
  2. Concordo e assino em baixo, eu era tão alienada, lembro que meu pai perguntava que eu queria, mas pensava só em presente simples acho que sabia que meu papei noel era humilde, rss, grande abraço

    ResponderExcluir
  3. Claudia: eu nem sabia o que era Papai Noel! só sabia que era Natal, pois minha mãe enfeitava um pinheiro imenso e eu ajudava com as bolinhas.
    esperava ganhar uma boneca que falasse ou abrisse e fechasse os olhos. Um dia... ganhei a Cecília, que sempre ficava em uma caixa em cima do guarda roupa. Mais tarde veio uma outra a Dandá do Silvio Santos. Fez par com a Cecília em cima do guarda roupa. Eu ein? Papai Noel só me trazia tristeza, rsrsrs Foram oito anos de espera por uma boneca!
    que nem deu o gosto de brincar! Vamos exorcizar !
    bjos

    ResponderExcluir
  4. Claudia que post lindo, eu nunca acreditei em Papai Noel, até porque nossa situação financeira era meio triste e acho que minha mãe entendia que não adiantava esse tipo de fantasia.
    Mas meus filhos deixei acreditar até que não fosse mais possível.
    Mas concordo com tudo que escreveste.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ótimo post, super pertinente!
    Acho que precisamos conversar mais com as crianças e explicar também a realidade real do mundo...sem TV e lojas!
    Bjs e boas energias....passa lem casa!

    ResponderExcluir
  6. Ele Mora num lugarzinho bem escondido dentro de cada um! às vezes ele não vem com o que pedimos, mas é sempre bom acreditar... só um pouquinho!! Beijo!!

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelo blog, é muito lindo!
    Eu descobri cedo que papai noel não existia, quando vi meu pai tirando a bicicleta do carro e colocando embaixo da árvore de natal. Ali entendi tudo, apesar dele ter explicado que o papai noel deu pra ele me entregar. Não acreditei mesmo nessa historinha e quis porque quis mostrar a verdade pra minha irmã, que apesar de ser mais velha do que eu era mais bobinha, só chorava e dizia que eu estava mentindo. Engraçado como essas fantasias mexem com a cabeça da criança. Eu não quero que meus filhos, quando os tiver, acredite em papai noel. Primeiro porque o natal não deve ser visto como capitalismo, como uma data para ganhar o que você mais sonha, ao contrário, eu quero passar pra eles que o natal é o momento da gente realizar os sonhos dos outros, que ao invés deles quererem presentes caros, que aceitem um baratinho só pra poderem doar brinquedos para as crianças que não tem. O maior simbolo do natal é Jesus Cristo, o nascimento simples do filho de Deus. Não sei se serei capaz mas quero muito que Deus me ilumine para que eu consiga passar esses valores bíblicos e humildes, o verdadeiro sentido do natal.
    Muito lindo seu blog e os artesanatos que você faz, amei tudo.
    Desejo um final de semana maravilhoso, cheio de paz e amor ao lado da sua família.
    Beijocas...

    ResponderExcluir
  8. não sei ser e se o papai noel e isso não mais nunca ganhei um presente dos sonho mais ainda sou criança mais não si porque isso acontecer com migo quero ganha presentes !!! bejos bruna adorei seu blog!!!! @

    ResponderExcluir
  9. realmente nunca ganhei brinquedos dos sonhos mais acho muitooo chato

    ResponderExcluir
  10. não sei ser e se o papai noel e isso não mais nunca ganhei um presente dos sonho mais ainda sou criança mais não si porque isso acontecer com migo quero ganha presentes !!! bejos bruna adorei seu blog!!!! @

    ResponderExcluir

Oi, obrigada por sua visita!