terça-feira, 13 de setembro de 2011

Quando me amei de verdade

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.


Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.


Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.


Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.


Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.



Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.



Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.




Quando me amei de verdade, comecei a ouvir a sabedoria do meu corpo. Ele fala claramente através do cansaço, 
das sensações,
das antipatias e dos desejos.


   Quando me amei de verdade, perdoei-me por todas as vezes em que me acusei e me critiquei.


 Quando me amei de verdade, aprendi a chorar as dores
 da vida no momento em que elas acontecem,
        em vez de sobrecarregar meu coração arrastando-as por aí.


Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.



Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.



Na internet, este texto tem sido atribuído a Charles Chaplin.
Li o livro Quando me amei de verdade de Kim McMillen & Alison McMillen , todos estes trechos estavam no livro, e em momento algum foram atribuídos a Chaplin.

                                        
  pág. 5 
                          "Introdução
Durante muitos anos, vivi de forma cautelosa
e defendida. Eu não sabia como ter amor
e compaixão por mim mesma. Quando fiz quarenta
anos, isso começou a mudar.
Quando comecei a amar tudo o que sou, a
vida se transformou, abrindo-se em lindos e
misteriosos caminhos. Meu coração ficou mais
leve e eu passei a ver as coisas de forma diferente.
Fui me compromentendo cada vez mais a
seguir esse chamado interior, e percebi a presença
constante de uma inteligência divina que
guiava minha vida. Dou a essa inteligencia o
nome de graça, sempre disponível para todos nós.
Nos últimos doze anos, fui aprendendo a
reconhecer e a aceitar esse verdadeiro presente.
Cultivar o amor e a compaixão por mim mesma
tornou isso possível.
As etapas que vou descrever são minhas.
As suas podem ser diferentes, mas espero, de
todo o coração, que as minhas despertem em
você essa ânsia que existe em todos nós."


Kim McMillen




Olhe pra dentro de você.

Perceba o que mais te incomoda. MUDE. Dê a volta por cima. LIVRE-SE de pensamentos que te atormentam. Escreva o que te põe pra baixo, e ao lado escreva o que te faz feliz. CANTE.
Escreva quais são os suas virtudes, e NÃO esqueça delas durante o dia. 
MUDE. TENTE. LIBERTE-SE.
Pra sermos felizes, precisamos sermos autênticos.


Beijos e uma ótima terça-feira para todas nós.


7 comentários:

  1. Olha esse texto foi perfeito pra min hoje. Amei! Bjs Eliane

    ResponderExcluir
  2. Oi Claudia!
    Que paz poder ler isso, Obrigada por compartilhar !!
    Bjo Bjo

    ResponderExcluir
  3. Oi meu bem sou nova por aqui e ja amei seu blog,este seu post de hoje falou exatamente o que eu preciso!!!Já estou te seguindo...
    Vou copiar e postar no meu blog também pode deixar que seu blog será divulgado.Bjus

    ResponderExcluir
  4. Ameeeei.
    Ando assim meio reflexiva e ostei de refletir assim contigo.

    Uma tomada de decisão não muda só uma atitude, muda uma vida. Boa sorte, vai em frente!!!

    ResponderExcluir
  5. Nossa acabei de ti conhecer e me sinto mt a vontade, adorei tudo. E já fiquei por aqui. Depois falam que internet é coisa de desoculpado, eu digo que é uma porta para agente conhecer, compartilhar e retribuir amor, carinho, afeto q ultimamente as pessoas 'oculpadas' não sabem mais o q é. Tb estou em reciclagem geral adorei esse cantinho.
    bjssss
    Alânia Teixeira.

    ResponderExcluir
  6. amei. obrigado...precisa disso hj.

    ResponderExcluir

Oi, obrigada por sua visita!